◩ RACIONALIZAÇÃO DE CUSTOS
Não é uma tarefa simples, exige amplo conhecimento da organização: da gestão, do fluxo Informativo, do organograma funcional, da qualificação dos funcionários, dos clientes e fornecedores, enfim de toda a cadeia de processos que envolve a organização.

A visão parcial sobre os processos da organização, na ação de redução de custo tem causado mais danos do que benefícios. Em momentos de crise, não é difícil encontrar, gestores tomando medidas drásticas de redução de custo, focando ações pontuais, o resultado é que a médio e longo prazo eles acabam gerando mais custo.

A questão básica esta no conceito entre o “cortar” e “racionalizar”, ambos em dado momento atingirão a redução de custo, mas somente um trará o resultado esperado. O Corte é uma visão simplista, pode até ter efeito impactante, porém é efêmero, não garante a sustentabilidade dos processos. A Racionalização, o caminho é bem mais penoso, mas em contrapartida, nos ensina que é perfeitamente possível “fazer” mais com “menos”, em termos técnico isto tem nome: Melhoria da Produtividade. Se você a obter, a organização se torna mais leve, flexível e consequentemente mais competitiva, ou melhor, consegue obter o “passa porte” para a tão almejada Vantagem Competitiva.

▪ Ao entrar em um processo de racionalização de custo, é preciso ter em mente algumas premissas:

1- Nunca subestime a Cultura implantada e a inteligência das pessoas envolvidas no processo;

2- A maior restrição esta no modo de pensar, ela geralmente reside nos “andares superiores da pirâmide”. A visão é o vetor ser trabalhado;

3- Pessoas envolvidas no processo, identifique quem são os “vagões” e quem são as “locomotivas”, facilite o trabalho das “locomotivas” , vontade e iniciativa são requisitos essenciais, os “vagões” deverão ser trocados;

4- Reconheça todos os envolvidos no processo e bonifique-os, pelo critério da “meritocracia” é preciso fazer;

5- Entenda que em dado momento de um processo, às vezes será preciso fazer algum tipo de investimento, e que “momentaneamente” poderá haver aumento do custo num curto período;

6- Não desanime, não desista, críticas surgirão, lembre-se que você estará atuando diretamente na produtividade, sempre haverá os “incomodados” de plantão, geralmente são os de baixa produtividade, remova-os.

▪ Mas afinal como se aplica o processo de racionalização de custo?

1- Faça uma projeção da organização para um período de 03 a 05 anos;

2- Saibam quais são seus “custos estratégicos”, aonde organização deve gastar para competir e vencer e os “não estratégicos” os que não agregam valor;

3- Identifique quem são seus “custos fixos”, pense na organização projetada, como ela poderia “funcionar de outra maneira”, fazendo o menor uso possível deles;

4- Não esqueça de olhar a frequência de cada processo, pois ele será determinante, na “transformação do custo fixo em custo variável”, em momentos de crise, organizações que possuem baixa correlação com os “custos fixos”, perante os “custos variáveis”, sofrem menos;

5- Cuidado na transformação do processo de pessoas físicas para pessoas jurídicas, ex-funcionários com estabelecimento de vínculo único, pode ser “corte” e não “racionalização”, faça cálculo do risco;

6- Exerça efetivamente o controle, coloque as dificuldades, restrinja os números de pessoas que podem negociar e comprar na organização, verifique periodicamente todos os parâmetros de software ERP que gerem disparos automáticos de compras;

7- Fixe um orçamento dinâmico e participativo, com identificação de “pessoas locomotivas”, como responsáveis, formalize e justifique todas as ações que gerem o aumento de custo, crie o conceito de uma organização austera e enxuta, isto só se consegue com quem tem a devida “expertise”, e usa tecnologia de ponta e metodologia própria, conte conosco realmente nós podemos ajudar nessa questão.